Fábio B. Cardoso: Amar é o ato religioso mais subversivo da atualidade


“Mesmo que isso me transforme num marginal, sigo amando… Sigo os passos de Cristo.”


Publicado em 11/10/2018.

Pastor Fábio Bezerril Cardoso, segundo da esquerda para a direita, em evento contra a intolerância religiosa. Reprodução editada.

Em um post no Facebook, o pastor e cientista político Fábio Bezerril Cardoso, da Comunidade Cristã Palavra e Vida (CCPV), fez dura crítica à onda conservadora que vem tomando conta da sociedade, especificamente no meio religioso evangélico. Para ele, a religião está contribuindo para machucar pessoas, ao aderir a esse fenômeno pautado pelo moralismo e pregação do ódio.

“A religião tornou-se uma máquina de moer pessoas. Para sobreviver dentro dela, é preciso compartilhar do ódio que é destilado pelos seus líderes” – afirma o pastor.

Bezerril diz que o ódio à diversidade virou sinônimo de santidade e cristianismo excludente:

“Se você ousar amar, certamente tentarão te silenciar. Nos dias de hoje o amor tornou-se sinônimo de pecado, de ‘coisa errada’, só pode amar os iguais, porque os diferentes é preciso odiar.”

Quem ousa amar corre o risco de ser condenado por religiosos, afirma ele:

“O ato mais subversivo na atualidade, em meio aos religiosos, é amar, por isso ame, sem ver a quem, assim estará fazendo a vontade de Deus. Eu escolhi amar, ao invés de odiar. Mesmo que isso me transforme num marginal, sigo amando… Sigo os passos de Cristo.”

Em outra publicação, Bezerril critica o uso ideológico deturpado da teologia, como um instrumento de propagação ódio e do preconceito:

“É preciso entender o evangelho pela ótica de Jesus, só assim conseguiremos aprender sobre amor, perdão e dignidade da vida humana. Caso contrário, a teologia se transforma em fundamento ideológico, que, ao invés de abençoar, dá ferramentas para a religião se tornar uma máquina de moer pessoas, destilando preconceito e ódio na sociedade.”

Pastor progressista, defensor da inter-religiosidade, dos homossexuais e das pautas feministas, ele tem sofrido ataques dos seguidores de Bolsonaro nas redes sociais, devido ao seu posicionamento contrário ao do candidato de extrema-direita do PSL. Segundo ele, o voto em Bolsonaro não é cristão, pois o candidato “vai totalmente no caminho inverso à palavra de Deus”.

Assista ao vídeo abaixo.

Acompanhe nossa Coluna Teologia!

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s