Feliciano diz que crianças enjauladas por Trump foi “cumprimento da lei”

Foto: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados, editada.

No plenário da Câmara, o deputado Marco Feliciano (Podemos-SP) defendeu a política contra imigrantes de Trump, chamada de “tolerância zero”, que separou à força crianças de seus pais, considerados ilegais no país. Segundo Feliciano, Trump apenas “fez cumprir a lei”.

Feliciano inicia sua fala dizendo ser um “entusiasta de Trump” e diz ter ficado “assustado com a separação das crianças da família”, mas que estudou o assunto e concluiu que “Donald Trump apenas fez cumprir a lei”, que já existia (Assista ao vídeo no final da matéria)

Como era antes de Trump

Antes de Trump apertar o cerco aos imigrantes que cruzavam a fronteira do México com os EUA de forma não autorizada, as famílias podiam entrar no país e pedir refúgio, alegando medo de retornar a seu país de origem. Nesse período, podiam ou não ser detidas, mas o processo era mais complexo, pois dependia de vários fatores, como disponibilidade de vagas nos centros de detenção e audiência na fronteira para decidir sobre a deportação das famílias.

Pressão internacional

Após pressão internacional, o presidente dos EUA assinou um decreto que permite que pais e filhos fiquem presos juntos. A medida, porém, não retroage para casos de famílias já separadas e não cessa a “tolerância zero” contra os imigrantes adultos considerados ilegais, que terão que responder a processo criminal.

“Estamos assinando uma ordem executiva muito importante. É sobre manter as famílias unidas e, ao mesmo tempo, ter certeza que temos uma fronteira muito forte” – disse Trump.

O papa Francisco também condenou a política radical de Trump, chamando-a de populista; também disse concordar com as declarações dos bispos dos EUA, que a classificaram como “contrária aos valores católicos” e “imorais”.

O alto-comissário dos Nações Unidas (ONU) para os Refugiados, Zeid Ra’ad al-Hussein, pediu, esta segunda-feira, aos EUA que “acabem imediatamente” com a separação forçada de crianças migrantes dos seus pais. Segundo ele, é uma política “impiedosa”.

Nessa terça-feira (19), os EUA anunciaram sua saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU, acusando o órgão de ser “hipócrita” e “anti-Israel”.

O “canil” de Trump

A política de “tolerância zero” contra imigrantes nos EUA, patrocinada pelo presidente Donald J. Trump, revoltou o mundo. Crianças aparecem chorando por seus pais e dormem em jaulas, com mantas de alumínio como cobertor. O centro de detenção em jaulas fica no estado do Texas, abriga tanto pais, presos por tentarem atravessar a fronteira, quanto filhos, separados deles. Imigrantes o tem chamado de “canil”.

Dados divulgados pelo Departamento de Segurança Nacional mostram que desde o anúncio formal da política de “tolerância zero”, há seis semanas, o governo norte-americano separou à força quase 2.000 crianças imigrantes dos seus pais.

Acompanhe nossa Coluna Política!

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s