Opinião | Por que os evangélicos não devem apoiar a candidatura presidencial de Bolsonaro?


“Como um indivíduo que prega o ódio, que é racista, que usa recursos públicos indevidamente, recebe apoio de líderes evangélicos?”


Por Johnny Bernardo*

Os deputados Marco Feliciano (PODE-SP) e Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Reprodução do YouTube.

O deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSL-RJ) é o que de pior temos na política brasileira. Não pelo o fato de ele ter origens militares – há bons militares no Brasil, que devem ser respeitados -, mas porque ele encarna um Brasil do século XIX, em que apenas uma pequena minoria da sociedade brasileira tinha liberdade e outros direitos. Apesar de ter um significativo apoio entre jovens, Bolsonaro não representa os ideais desta nova geração, mas aqueles ideais de dominação das minorias, defendidas no Brasil tardio.

Além de ser machista, Bolsonaro também já deu demonstrações de que é um racista da pior espécie. Seja quando disse que não permitiria que um de seus filhos se casasse com uma negra, como quando, em palestra na Hebraica do Rio de Janeiro, ofendeu quilombolas e indígenas. O racismo é uma prática abominável, e que deve ser igualmente repudiado pelos evangélicos – principalmente pelo pentecostalismo brasileiro, que é constituído por negros, como revela o livro “A Religião Mais Negra do Brasil”, de Marco Oliveira.

Também é preocupante o fato de que o Bolsonaro é defensor de práticas de tortura, fuzilamento e desaparecimento de militantes de esquerda. Em uma entrevista concedida ao apresentador do programa “Câmera Aberta” (TV Bandeirantes), em 1999, Bolsonaro defendeu a ditadura, a necessidade de uma guerra civil no Brasil e o fuzilamento do então presidente Fernando Henrique Cardoso. Na ocasião, Bolsonaro foi enfático: “Sou defensor da tortura”. É difícil coadunar tais pressupostos com a mensagem do Evangelho.

Vale também ressaltar que Bolsonaro defende colocar armas nas mãos de cada cidadão brasileiro, e até mesmo fuzis nas mãos de ruralistas. É um retrocesso, principalmente quando acompanhamos os diversos massacres promovidos por jovens em escolas e igrejas nos EUA. A ideia de que é necessário armar o “cidadão de bem” é um erro porque amplia mais a situação caótica da segurança pública brasileira. Bolsonaro quer uma sociedade de homicidas, de pessoas que resolvem tudo com arma em punho.

Ademais, a suposta honestidade e moralidade de Bolsonaro não corresponde com a realidade. Denúncia publicada recentemente pela Folha de São Paulo revelou que Bolsonaro e seus filhos têm registrado em seus nomes diversos imóveis de luxo, no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Apesar de ter um apartamento na capital federal, por mais de 20 anos Bolsonaro recebeu auxílio-moradia. Questionado por uma repórter da Folha de São Paulo, declarou que usava o dinheiro em hotéis, para “comer gente”.

Como um indivíduo que prega o ódio, que é racista, que usa recursos públicos indevidamente, recebe apoio de líderes evangélicos? Bolsonaro é uma farsa, um embuste que precisa ser banido dos púlpitos de nossas igrejas. Não podemos dar lugar para indivíduos que tratam a mulher como um mero objeto do homem, que deve “ganhar menos porque engravida” e que prega a submissão das minorias religiosas. Bolsonaro jamais receberia o apoio de Jesus, e igualmente deve ser repudiado pelos evangélicos. Não deem apoio.


Sobre o autor desse artigo 

*Johnny Bernardo é Cientista Social e colaborador no blog Somos Progressitas.


Acompanhe nossa Coluna Opinião!

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s