Editorial | Manual prático de sobrevivência para páginas progressistas

cacando fascistas.jpg
Caçando fascistas. Imagem da internet.

Desde que a página do Ativismo Protestante foi criada no Facebook, em 13 de dezembro de 2016, temos sido alvo de centenas de ataques diários, por parte de seguidores do Bolsonaro e cristãos conservadores. Após um ano, no dia 27 de dezembro de 2017, declaramos que estávamos sob um ataque massivo como nunca antes havíamos sofrido. Foram milhares de denúncias, na tentativa de derrubar a página. Naquele dia tivemos receio, mas estávamos confiantes que tínhamos feito um bom trabalho, respeitando as políticas da Comunidade do Facebook. Para nossa surpresa, nem uma vírgula foi removida da página. Saímos mais do que vitoriosos. Desde aquele dia, parece que o séquito do Bolsonaro e os cristãos radicais sumiram, o que não é verdade, pois o número de seguidores cresceu ao invés de diminuir. Ou seja, eles estão por lá, à espreita, esperando um vacilo para denunciar. Essa experiência nos qualificou para escrever esse Manual prático de sobrevivência para páginas progressistas, a fim de ajudar os demais a não sofrerem bloqueios por parte do Facebook, ou mesmo ter sua página removida da rede social. Sobreviver é viver com dificuldades, ou seja, nunca será fácil, nem um dia.

Obs: Esse Manual serve para páginas e para perfil pessoal, as regras do Facebook são as mesmas para ambos.

1. CONHECENDO A OPOSIÇÃO

Amigos perto, inimigos mais perto ainda.

1.1 Quem são as pessoas que vão te atacar?

Páginas progressistas têm um público opositor de direita, óbvio. Porém, os mais agressivos são os de extrema direita, normalmente eleitores do Bolsonaro. Como são asseclas de regimes militares, adotam estratégias de guerra para derrubar páginas e perfis. Falaremos disso mais adiante.

Cristãos radicais também merecem atenção, pois a maioria é seguidor de políticos extremistas, como Bolsonaro e Trump. Além disso, costumam ser admiradores de figuras públicas que adotam posturas de extrema direita, como Danilo Gentilli, Raquel Sheherazade, Marco Feliciano e Silas Malafaia.

1.2 Quantas são?

Faça estimativas. É possível estimar a quantidade pelos comentários nos posts. Os haters não se aguentam, tem a necessidade de ofender de alguma forma, e o caminho mais rápido e fácil são os comentários. Se há muitos comentários ofensivos nos seus posts, sua página incomoda muito e com certeza há muitos haters esperando você errar para fazer denúncias.

2. ESTRATÉGIAS DE ATAQUE DA OPOSIÇÃO E DOS HATERS

Os opositores e haters podem se valer de várias estratégias para atacar páginas, perfis e publicações. Podem inclusive se valer de ferramentas da própria página, que deveria servir para ajudar a dar visibilidade à página, mas que acabam se tornando uma arma contra a própria página.

2.1 Ataque em massa

Essa é uma estratégia conhecida, usada principalmente por seguidores do Bolsonaro. Eles a chamam de ‘oprimir’. Funciona assim: alguém infiltrado na sua página vê que você postou algo criticando um político de direita ou valores morais; esse alguém compartilha seu post em uma página responsável por reunir ‘opressores’; no mesmo instante sua página estará sob um ataque em massa. Serão centenas ou milhares de comentários ofensivos e denúncias contra o post e contra a página.

chamada para oprimir direita
Chamada em uma página de direita para ‘oprimir’ uma publicação do Ativismo Protestante.

2.2 Avaliações da página

Essa é uma ferramenta que serve para os seguidores fazerem comentários sobre a página, dar um feedback, além de melhorar o posicionamento nas pesquisas. Mas os haters a usam para atacar a página. Em poucos minutos, sua página pode ir de 5 a 1 estrela, caso sofra um ataque massivo.

avaliacoes negativas santander
Ataque em massa à página do Santander, após a polêmica da exposição Queermuseu.

3. COMO SE DEFENDER

3.1 Remova a ferramenta de Avaliações da página

Se a sua página não é de ‘good vibes’, mensagens positivas ou frases motivacionais, remova a ferramenta de Avaliação, pois com certeza ela será usada pelos haters para dar a nota mais baixa a ela, além de fazerem comentários ofensivos e degradantes. Clique aqui para saber como remover.

3.2 Políticas do Facebook: O que pode e o que não pode postar

Essa é a parte principal da defesa: seguir as políticas da Comunidade do Facebook. É a única garantia de que sua página resistirá aos milhares de ataque sem sofrer punições. Vale lembrar que muitas punições por violar essas políticas levam à remoção definitiva da página, sem volta.

Sempre que for postar algo, pare e dê uma olhada nessas políticas. Muitas vezes o instinto e o calor do momento nos levam a publicarmos uma coisa sem pensar muito.

Posts com conteúdo pornográfico, discurso de ódio, bullyng, assédio, violência sexual, exposição de pessoas não-públicas, ameaças, ofensas, etc, violam os padrões do Facebook.

Lembre-se: Mesmo que você apenas compartilhe ou publique o conteúdo com a intenção de denunciar, sofrerá punição. Clique aqui para ler as políticas do Facebook.

3.3 Adicione pessoas como administradores e editores da página

Em caso de um colaborador sofrer um bloqueio, outros poderão manter as publicações na página.

3.4 Fake news

O Facebook pode remover sua página por publicar ou compartilhar notícias falsas; os usuários também podem marcar seu conteúdo como notícia falsa. Portanto, publique apenas verdades.

3.5 Compartilhamentos em grupos

Por dia, o Facebook permite cinco compartilhamentos em grupos. Se passar disso, você será bloqueado e não poderá fazer nada em grupos, até que termine o bloqueio.

4. CONTRA-ATAQUE

4.1 Denucie perfis fake

A experiência mostra que muitos dos perfis dos haters e opositores que infernizam as páginas são fake. Ao ver um comentário ofensivo, entre no perfil da pessoa e denuncie. Alguns indícios dão a certeza de que se trata de um perfil fake:

  • Nome estranho. O Facebook só permite que as pessoas usem seus próprios nomes e sobrenomes, como consta no RG. Nomes fictícios não são permitidos. Você pode denunciar o perfil por ser falso, ou por usar um nome que não é ou não aparenta ser da pessoa. Em caso de nome ou sobrenome estranho, além de denunciar, você pode pedir ao Facebook para verificar o perfil. O Facebook solicitará que a pessoa envie uma cópia de um documento com foto, para provar que ela é a dona real daquele perfil.
  • Poucos ou nenhum amigo. Perfis falsos não costumam ter muitos amigos.
  • Nenhuma foto. Perfis falsos não costumam ter fotos de pessoas.
  • Nenhum comentário ou curtida. Perfils falsos não têm curtidas nos posts ou comentários de pessoas reais.
  • Postagens políticas. Perfis falsos costumam apenas compartilhar posts de um candidato ou de uma ideologia. Não tem post da vida da suposta pessoa dona do perfil.

4.2 Denuncie publicações

Páginas de direita e extrema direita são cheias de publicações que violam as políticas do Facebook. Basta algumas rolagens na time lime para encontrar um vídeo com discurso de ódio, um comentário ofensivo, racista, xenófobo, misógino, etc. Denuncie.

4.3 Discurso de ódio e ameaça de violência 

Vale a pena destacar esses dois itens, pois nossa experiência, após centenas de denúncias feitas, mostra que o Facebook prioriza a análise desses tipos de conteúdo denunciados. Enquanto conteúdos aparentemente considerados menos importantes podem demorar até 5 dias para serem analisados, discursos de ódio e ameaças de violência dão um feedback até mesmo em minutos. As páginas que publicam esses tipos de conteúdo também são banidas do Facebook rapidamente.

4.4 Denuncie a página

Discursos de ódio e ameacas de violência são os mais duramente punidos pelo Facebook. Ao ver que a página pratica isso, denuncie. Várias páginas de direita e extrema direita já foram removidas por pregar violência e incitar o ódio. Denuncie por outros motivos também.

4.5 Pena capital: Banimento da página

Não tente excluir todos opositores e haters da página, a experiência mostra que isso é enxugar gelo. Mas esteja atento aos que ofendem outros seguidores, nos comentários, com xingamentos, racismo, xenofobia, misoginia, homofobia; discursos de ódio e apologia a ditadores como Ustra, apologia a crimes de tortura, etc. Casos extremos, como esses, devem ser punidos com o banimento da página; não vale a pena manter essas pessoas.

Os próprios seguidores que querem manter um diálogo e um debate saudável na página acabam pedindo para que essas pessoas sejam banidas, pois só atrapalham o debate;e é isso que elas querem, atrapalhar, tumultuar, tornar o ambiente ruim, hostil e desestimular as participações e as críticas.


Acompanhe nossos Editoriais!

Um comentário

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s