Editorial | As armas do cristão não são de fogo, mas poderosas em Deus


As armas da nossa milícia não são carnais, nem metálicas, mas poderosas em Deus.

destruicao de armas
14/09/2017- O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) encaminhou nesta quinta-feira (13) um lote de 436 armas para serem destruídas pelo Exército Brasileiro. O lote era composto de escopetas, espingardas, pistolas, revólveres, armas de brinquedo, além de 10 metralhadoras, apreendidas pelas polícias Civil e Militar e que faziam parte de processos judiciais em tramitação na Justiça estadual. Somente neste ano, o TJAM já encaminhou mais de duas mil armas para destruição. Foto: Herick Pereira/TJAM, editada.

Uma mente ofendida, um sentimento confuso, uma revolta, uma arma de fogo ao alcance, vários corpos inocentes vitimados no chão, lágimas no cortejo fúnebre. As armas da nossa milícia não são carnais, nem metálicas, mas poderosas em Deus.

As cenas acima descrevem o passo-a-passo do caso do aluno que pegou a arma da mãe policial e abriu fogo contra colegas de escola, na última sexta-feira (20), em Goiânia. Mas serviria para descrever tantos outros massacres cometidos com armas de fogo, como os tiroteios de Columbine, nos Estados Unidos, e o da escola em Realengo, no Rio de Janeiro, que aliás inspiraram o jovem estudante. As armas de fogo produzem os mesmos efeitos, os mesmos estragos, os mesmos traumas, as mesmas dores.

O Mapa da Violência de 2016, uma série de estudos coordenada pelo professor e sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diretor de pesquisa do Instituto Sangari e coordenador da Área de Estudos sobre Violência da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), revelou dados estarrecedores sobre homicídios por arma de fogo (HAF) no Brasil:

  • De 1980 até 2014 morreram no Brasil 967.851 vítimas de disparo de arma de fogo, Desse total 830.420 (85,8%) foram homicídios;
  • No ano de 2014, armas de fogo mataram quatro vezes mais que a AIDS;
  • Entre 1980 e 2003, o crescimento dos homicídios por armas de fogo (HAF) foi sistemático e constante, com um ritmo enormemente acelerado: 8,1% ao ano
  • As políticas de controle das armas de fogo (Estatuto e Campanha do Desarmamento), sancionadas em 2004, permitiram evitar um total de 133.987 homicídios;
  • Os homens representam 94,4%, na média nacional, de vítimas por homicídios por armas de fogo;
  • A principal vítima da violência homicida no Brasil é a juventude;
  • As maiores vítima são os negros, o dobro em relação aos brancos;
  • O Brasil, com taxa de 20,7 homicídios por arma de fogo por cada 100 mil habitantes, ocupa a 10ª posição entre os 100 países analisados.

Esses números contrastam com os de países que reduziram os homicídios por armas de fogo, como o Japão, que quase extinguiu esse tipo de crime, com políticas de forte restrição e controle da aquisição de armamento por seus cidadãos, conforme informou matéria da BBC Brasil. Em 2014, foram registradas apenas seis mortes. Os Estados Unidos, país com uma das legislações que mais facilita a compra de armas, registraram 33.599 mortes no mesmo período.

Quando os religiosos enviaram uma multidão com Judas Iscariotes para prender Jesus, armados com espadas e porretes, as armas de fogo da época, um dos que estavam com Ele quis fazer justiça com as próprias mãos, empunhando uma espada. Porém, foi imediatamente repreendido pelo Príncipe da paz, que justificou dizendo que Ele mesmo poderia se vingar, com uma simples petição ao Pai.

Jesus veio ao mundo como pacificador de almas, não como destruidor de corpos; e nós, como seus seguidores e imitadores, não temos que lutar contra a carne e o sangue. Nossas armas são a fé, a esperança e o amor; mas principalmente o amor. Sejamos pacifistas, cobremos dos nossos governantes políticas realmente eficazes de combate à violência, como educação e justiça social. Sejamos também pacificadores de verdade, como foi nosso Senhor. Promovamos a paz!


Sobre o autor desse artigo

Osmar Carvalho é engenheiro eletricista, membro da Igreja Assembleia de Deus Ministério do Belém, em São Paulo, e colaborador do Ativismo Protestante.

Acompanhe nossos Editoriais!

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s