Opinião| O rap feminista da Dina Di, em 1994

Mãe solteira, sem pai, sem sobrenome, em um universo majoritariamente masculino, Dina Di construiu sua própria feminilidade.

dina di
Dina Di. Imagem: Reprodução.

Indubitavelmente, dentro de toda ideologia existem ramificações, mais à esquerda, mais à direta, mais ao centro, mais moderadas, mais extremistas. Porém, os princípios fundamentais permanecem. Não é diferente com o feminismo. Apresento, aos mais novos, o rap feminista, progressista, revolucionário, da Dina Di.

Meu primeiro contato com essa ideologia se deu por volta de 1997, quando escutei pela primeira vez o cd do grupo de rap feminino ‘Visão de Rua’ (criado em 1994), cuja líder era a vocalista e compositora Dina Di. Naquela época o termo feminismo ainda era desconhecido da maioria, hoje está na boca de qualquer neófita no assunto por ai, que mal sabe o que fala.

220px-Dina_Di
Dina Di. Reprodução.

Foi um êxtase e uma esperança. Foram muitas respostas para minhas angústias, estas nascidas da observação da vida sofrida da minha mãe, migrante nordestina, quando eu ainda era criança (12 anos de idade). Ouvia-o de dia e de noite (junto com Racionais). Quase todos os dias, ainda hoje, eu escuto ‘Amor e ódio’, para me motivar na luta…morrerei ouvindo!

Todo mundo deveria conhecer a Dina Di e sua história. Viviane Lopes Matias faleceu no dia 10 de março de 2010, aos 34 anos anos de idade, vítima de infecção hospitalar, após dar à luz sua segunda filha. Não resistiu às internações por complicações pós-parto, um drama enfrentado por por muitas mulheres. A mãe e os irmãos já cantavam e tocavam. Aos 8 anos de idade, ela já iniciara na música, tocando violão; começou a cantar com 9; e a tocar com 10. Aos 13, conheceu o rap, amor à primeira vista. Imediatamente abandonou o violão. Escrevia desde criança. Escrevia, compunha e cantava. Humilde, abdicou do título de ‘Rainha do rap nacional’. Viveu no submundo do crime, das drogas, teve a mãe assassinada e disse ter sido resgatada por Deus; desde então passou a estudar a Bíblia. As alusões a Deus são constantes em suas letras.

Foi uma grande mulher, que merece um lugar no rol das grandes mulheres brasileiras, como Dandara, Tarsila do Amaral, Maria Quitéria de Jesus, Anita Garibaldi, Maria Bonita, Marta camisa 10, Nísia Floresta, Marisa Monte, Maria da Penha e outras. Lutou contra o machismo no rap e na vida, como ela relata na música “Marcas da adolescência”; denunciou o encarceramento desumano de mulheres, na música “Irmã de cela”; falou da violência policial sofrida pelos jovens periféricos, em “Periferia é o alvo”; criticou os padrões de beleza e comportamento impostos as mulheres, em “Corpo em evidência”; e desconstruiu o ideal de garotas princesas, em “A noiva de Tchuck”. Além de tudo isso – e muito mais -, ainda escreveu uma música falando sobre pedofilia. Suas músicas abordaram praticamente todos (ou quase todos) os problemas sociais da época.

Sob o comando de Dina Di, o grupo ‘Visão de Rua’ conquistou o Prêmio Hutúz como melhor grupo feminino de rap, por duas vezes – em 2000 e 2001.

Simone de Beauvoir sentiria orgulho de ver uma de suas teses sendo comprovada por essa rapper, que, assim como decretou a filósofa precursora do feminismo, não aceitou que dissessem a ela o que era ser uma mulher periférica padrão: ter um filho na juventude e um homem para lhe sustentá-la. Mãe solteira, sem pai, sem sobrenome, em um universo majoritariamente masculino, ela construiu sua própria feminilidade.

Abaixo, seguem algumas músicas dela e do ‘Visão de Rua’ que valem a pena ouvir no Youtube. E saber como era o feminismo naquela época, especificamente nas periferias.

• Amor e ódio – Dina Di
• Mulher de fato – Visão de Rua
• Corpo em evidência – Visão de Rua
• Marcas da Adolescência – Visão de Rua
• Irmã de cela – Visão de Rua
• Periferia é o alvo – Visão de Rua
• Meu Filho Minhas Regras – Visão de Rua

Discografia completa no Youtube

Visão de Rua – Herança do Vício (1998) [Álbum Completo]

Visão de Rua – Ruas de Sangue (2001) [Álbum Completo]

Visão de Rua – A Noiva do Thock(CD COMPLETO)

Para quem quiser saber mais sobre Dina Di:

Dina Di
https://pt.wikipedia.org/wiki/Vis%C3%A3o_de_Rua

Dina Di – Entrevista
https://www.youtube.com/watch?v=je8OJvu7cZI

Programa Fortalecendo a Corrente 21 Nov 2008 – Dina Di (Visão de Rua) e Grupo Reação – Parte 3
https://www.youtube.com/watch?v=2SYS5t4IT48

Programa Fortalecendo a Corrente 21 Nov 2008 – Dina Di (Visão de Rua) e Grupo Reação – Parte 4
https://www.youtube.com/watch?v=zTeJPO65HFE

Programa Fortalecendo a Corrente 21 Nov 2008 – Dina Di (Visão de Rua) e Grupo Reação – Parte 5
https://www.youtube.com/watch?v=4fZ27OmMv0A

Programa Fortalecendo a Corrente 21 Nov 2008 – Dina Di (Visão de Rua) e Grupo Reação – Parte 6
https://www.youtube.com/watch?v=TPxiAt18orU

O seguidor da página do Ativismo Protestante, Osmar Carvalho, escreveu esse artigo. O mesmo é membro da Assembleiade Deus Ministério do Belém, em São Paulo.

Acompanhe nossa Coluna Opinião!

Um comentário

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s